domingo, abril 22, 2007

Do "jornalismo" no seu melhor

Na última página do Público de hoje na rubrica do "Sobe e desce" aparecem duas setas que só se explicam por critérios ditos jornalísticos absolutamente podres e enviesados:
-a eleição do Mário Nogueira para Secretário-Geral da Fenprof aparece com seta para baixo. Do conteúdo lá existente não se percebe se o negativo é: a eleição de um sujeito com bigode; de um professor de 1º ciclo; de um militante comunista; de que está disposto a fazer tudo para revogar o ECD do ME e defender a escola pública; ou de tudo ao mesmo tempo que, como sabemos, são defeitos absolutamente evidentes para todos.
-o ministro da saúde Correia de Campos aparece com seta para cima a propósito da entrada em vigor da nova lei do Aborto como lhe chamam. O conteúdo lá existente, e no que concerne à responsabilidade do senhor, refere que apesar da nova lei do aborto entrar em vigor hoje não está ainda nada regulamentada e que os hospitais não tem condições para a aplicar, o que referem, não é algo aceitável.
Do "jornalismo que temos" no seu melhor.

Etiquetas:

9 Comentários:

Blogger Miguel Pinto disse...

Beemm... o Público, apesar da parcialidade que denotam algumas peças, ainda noticiou o congresso. O DN, sem surpresa minha, nada disse sobre o assunto.... O professorado tem de começar a pensar numa tomada de posição colectiva, um protesto veemente!!! Não achas?

2:23 da tarde  
Blogger JP disse...

Sou insuspeito,
porque fui um dos mais visíveis apoiantes da Manuela Mendonça.
Mas com a mesma força estou agora com o Mário.

Quanto ao Público: vergonhoso!
Fiquei arrependido de ter gasto o dinheiro.

JP

8:29 da tarde  
Blogger henrique santos disse...

De facto em situações destas os professores devem mostrar visivelmente o seu repúdio. Cartas ao director, telefonemas, são uma dessas possibilidades.
Quanto ao Público compro-o de propósito para saber os argumentos de quem pensa quase sempre o contrário de mim. É estimulante.

11:27 da tarde  
Anonymous IC disse...

A proposta do Miguel Pinto é uma boa proposta a enviar à FENPROF, pois um protexto colectivo precisa de ser desencadeado. Quanto a cartas ao director de qualquer jornal, achas que isso tem algum efeito, Henrique? (Imagino que escreveste essa sugestão com pouca convicção he he he)

1:21 da manhã  
Anonymous IC disse...

Perdão, escrevi protexto em vez de protesto, isto é da hora...)

1:23 da manhã  
Blogger henrique santos disse...

Isabel
cartas o director devem ser publicadas se o director tiver o mínimo de seriedade. Há mesmo um espaço para isso.
Hoje, na rubrica O Público errou vem a dizer que foi cometido um lapso lamentável. Não pedem desculpa ao visado nem colocam a seta para cima como devia ser. Vá lá: é melhor do que nada.

2:17 da tarde  
Blogger Moriae disse...

É tudo muito estranhoooo ... ao menos os jornais mantêm-se coerentes!

10:06 da tarde  
Anonymous Pedro disse...

A situação explica bem até que ponto desceu a credibilidade do sindicalismo da Educação.
O que demora a construir pode ser destruído num ápice!!! Foi o que nos aconteceu!!!

5:27 da tarde  
Blogger henrique santos disse...

Ó Pedro
não havia "nexexidade". Do que se trata aqui é meramente da "credibilidade" do que se pratica nos jornais portugueses: manipulação grosseira e desinformação tantas vezes.

7:28 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial