quinta-feira, julho 06, 2006

Frenesim

Este ministério não pára de me surpreender.
No blogue O Cartel, tive a oportunidade de deparar com mais um documento do ME sobre horários do próximo ano lectivo, datado de 29 de Junho, com indicações novas para o próximo ano lectivo. Estas indicações parecem-me apresentar já algumas diferenças em relação a anteriores indicações e despachos. Por exemplo na questão das substituições, ali fala-se em substituir a aula em falta ou trocá-la por outra disciplina e só em caso de não possibilidade dessas soluções é que se ocupa educativamente os alunos de outra forma. Fiquei sem saber se as ideias anteriores sobre a apresentação de justificação e do plano de aula pelo professor em falta, 5 dias antes da aula, e da sua possível não justificação, irá mesmo para a frente. Será que já não é bem assim?
Mais uma vez se nota nestas indicações a grande preocupação, quase única diria eu, em poupar nas horas de trabalho dos professores, mandando para a componente não lectiva de estabelecimento tudo o que puderem.
Nota-se também, mais uma vez, a preocupação com todos os pormenorzinhos para que os conselhos executivos executem ao milímetro estas indicações.
Esta produção sobreposta, umas vezes com o formato de despachos outra com a forma de não sei bem o quê, está a atingir um tal frenesim que me parece demonstrar já um evidente desgoverno.

4 Comentários:

Blogger IC disse...

E que dizer (?) de VII - Docentes com dispensa da componente lectiva por doença:
"3. Na constituição de equipas educativas, estes docentes podem dar um contributo valioso, quer na preparação de materiais para os colegas usarem nas suas aulas, quer na correcção de trabalhos dos alunos.
4. Quanto maior for o envolvimento destes docentes na preparação do serviço lectivo, maior será o seu à-vontade na correcção de fichas, testes, trabalhos dos alunos, etc."
Imaginar colegas a corrigirem os meus... melhor dizendo, os testes e fichas dos meus alunos faz-me pensar que no desgoverno deste ME começa a restar contar anedotas.

2:40 da manhã  
Blogger zoltrix disse...

creio que o desgoverno já vem de trás, desde as orientações avulsas sobre as substituições e criação de tempos e actividades extracurriculares.
esta equipa, para além de objectivos de destruição do ensino público é uma equipa tapa buracos, repressora a autista.
O problema é que não se vai embora a não ser daqui a três anos, o que é muito. Dantes, sempre saltavam de 6 em 6 meses, e as costas folgavam....

4:04 da manhã  
Blogger Catarina disse...

Gosto particularmente da definição de componentes lectiva e não lectiva - confirma-se oque eu desconfiava: a diferença entre uma e outra é o nome que o ME lhes dá...

11:49 da manhã  
Blogger Quiron disse...

Claro, Catarina, a diferença entre a componente lectiva e a não-lectiva é o nome que o ME lhes dá...
Esta política, de resto, já vem de longe em todos os ministérios, mas no da educação mais do que nos outros: mudar o nome às coisas para fazer delas o que se quiser.

6:06 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial