sábado, junho 03, 2006

O que fazer?

Perante a situação actual em que a Ministra da Educação, com o intuito de levar adiante as suas propostas de "ajustamento estrutural" da Educação e do ECD, leva a campanha de difamação dos professores e das escolas a limites nunca antes vistos em Portugal, a minha posição como professor passa pela contestação activa:
Vou fazer GREVE. Vou ao PLENÁRIO e à MANIFESTAÇÃO em LISBOA no dia 14 de Junho. Se muitos de nós fizessem o mesmo a situação mudava já substancialmente: era dar uma PROVA de FORÇA perante quem espera a FRAQUEZA e a RESIGNAÇÃO para levar adiante as suas propostas de DOMESTICAÇÃO dos professores e das escolas.
É suficiente? Claro que não. É um passo IMPORTANTE se for dado por muitos. Serão necessários muitos outros.
Entretanto é preciso que os professores conheçam e discutam as propostas do ECD. E que aproveitem todos os meios existentes para o fazer: fóruns; reuniões dentro das escolas e seus órgãos; reuniões sindicais; petições; documentos de opinião, etc.
Destaco o mundo da blogosfera com temáticas educativas, alguns blogues tem-se destacado ao trazer importantes documentos e reflexões sobre estas questões.
Não se pode fazer a economia do conhecimento e debate... É preciso reagir activamente... E agora...

4 Comentários:

Blogger zoltrix disse...

Não concordo com esta greve, tal como já não concordei com outras!
Deviamos fazer greve pura e dura às avaliações e exames! Este país tem o "direito" de levar com a nossa indignação em cima!
Não se faz pois se considera politicamente incorrecto(?)!
Acho que com governos destes não há nada de mais incorrecto do que a sua simples existência....
Em Inglaterra, onde se está muito pior que nós, 1M de funcionários públicos saiu à rua e o governo "terrorista" de Blair meteu no bolso a "reforma" das Reformas.
Cá poderia acontecer o mesmo se houvesse gente disponível para lutar.
Concordo: muitos estão com medo (já!) e outros ainda nem perceberam o que lhes vai cair em cima. Por isso lá terei que fazer greve dia 14 e manifestar-me! Devo-o por mim e pelo meu filhote! Já agora por este país!
Farei greve sabendo que o Governo já deu o recado, dizendo que o não incomodam as greves! Claro! Até poupa dinheiro!
Mas pelo menos, no final desse dia, deito-me de consciência limpa!!

9:52 da tarde  
Blogger Miguel Pinto disse...

Concordo e irei participar activamente neste momento decisivo para a nossa profissão.

11:08 da tarde  
Blogger henrique santos disse...

Os sindicatos da Fenprof estão a promover reuniões de professores por todo o país. O SPN leva a cabo reuniões no dia 9 de Junho. É um momento para aproveitar participando.
A altura em que o ME lançou as suas propostas pode ler-se bem como uma tentativa de criar dificuldades de intervenção aos professores e aos seus sindicatos.
Cabe aos professores e aos sindicatos dar a volta a estas dificuldades.

2:39 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Tb concordo com a greve à avaliação dos exames! Não prejudicavamos o trabalho dos alunos e abanavamos bem com o sistema!!
Eu cá tb luto de outra forma: td o q é artigo de análise do ECD, envio, via mail, p várias entidades, tais como presidente da república, primeiro ministro, ministra da educação e secretários de estado, ministro do ensino superior, ministro das finanças, presidentes dos partidos da oposição, todos os grupos parlamentares, CONFAP, sindicatos... e também à comunicação social.

Este foi o primeiro: "Proposta de alteração do Estatuto da Carreira Docente (ECD) Breve roteiro de análise - Guião para um debate", do Dr. José Matias Alves, publicada no seguinte link da ASA:

http://www.asa.pt/s_prof/criap_saber.php?forum_tema_id=167

8:58 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial