domingo, maio 13, 2007

MAUS EXEMPLOS

A comunicação social contribui cada vez mais pela omissão de acontecimentos importantes (e ampliação de acontecimentos menos relevantes) no silenciamento de muito do que significativamente se passa nas nossas sociedades.
Por exemplo: desde o ano passado que na Grécia tem havido um amplo movimento contra a criação de universidades privadas. Informe-se que nesse país, as universidades são todas públicas e de frequência gratuita, assim como os escalões anteriores do sistema de ensino. Tem havido greves com durações prolongadas de semanas em muitas escolas de todos os niveis de ensino e cerca de 300 universidades estão ocupadas. Muitas manifestações com dezenas de milhares de manifestantes têm ocorrido em frente ao parlamento grego onde a polícia tem usado abundantemente gâs lacrimogéneo (que, ironia das ironias, está lá proibido em tempo de guerra mas se usa e abusa em tempo de paz).
Num período coincidente com as reivindicações docentes em Portugal, seria de ver nos nossos órgãos de comunicação social, bastas referências a estas ocorrências num país da comunidade europeia. Então porque nada aparece nos nossos jornais e televisões?
Penso que uma das respostas mais possíveis é esta: os estudantes e professores gregos, que têm direitos muito mais alargados ao nível da Educação do que os portugueses estão a ser capazes de lutar bem mais por eles do que nós, portugueses, que temos direitos bem menores: tal seria um "mau" exemplo num tempo em que as políticas da Educação em Portugal estão a desbastar os direitos que ainda restam.
Professores portugueses: olhem para estes exemplos. Acordem enquanto há tempo.

4 Comentários:

Blogger Moriae disse...

Duvido que acordem ... se alguma mudança acontecer neste país não será certamente pelo ganho de coragem dos nossos colegas. Tenho tido as maiores desilusões. Ao mesmo tempo, reforços muito bonitos.
A mim, metem-me impressão os vira-casacas, subserviente, que pensam que somos como eles!
Bjinho e boa semana :)

12:01 da manhã  
Anonymous IC disse...

Dizes muito bem, Henrique: "Acordem enquanto há tempo."
Permito-me salientar esta passagem da notícia que citas:
"estudiantes y profesores conquistaron las calles de las ciudades, dejaron de creer en los medios de comunicación de masas y generaron sus propias fuentes de información."
(Mas isto não é cá, claro...)

12:20 da manhã  
Blogger henrique santos disse...

Moriae e Isabel
Boa semana às duas. Eu também tenho cada vez menos ilusões. Os professores parece que "precisam" de levar ainda muita mais pancada para "acordarem". Pena é que apanhemos também nós que já estámos acordados há muito tempo.

6:17 da tarde  
Blogger José Carrancudo disse...

Analisamos recentemente o estado corrente do sistema escolar nacional, identificamos os problemas principais, e propusemos as soluções, tendo informado da respectiva publicação o Gabinete da Sra. Ministra de Educação. Até agora, não recebemos qualquer resposta …

Resta constatar que o Ministério, pelos vistos, apenas se preocupa com assuntos monetários, e não com a qualidade de preparação dos nossos alunos.

José Carrancudo,
educador

7:07 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial