segunda-feira, outubro 30, 2006

Para além do suportável.

O modo como a senhora ministra reagiu à contestação dos estudantes, esta manhã, atirando as culpas, mais uma vez, para cima dos professores, é para mim insuportável.
Por mim, estou disposto a fazer muita coisa, colectivamente, até que esta senhora, que não tem um mínimo de dignidade pessoal (já nem falo em sentido de Estado) seja demitida ou se demita.
Esta senhora não tem mínimas condições pessoais para dirigir com lealdade um departamento do Estado, quanto mais um ministério da Educação.
Que pena tantos professores colocarem tanta coisa à frente da sua dignidade pessoal e profissional...

5 Comentários:

Blogger Quiron disse...

Ao título do seu blog falta-lhe um «da» para ser uma perfeita inversão do genitivo, tão ao estilo de Marx e Engels... Mas lá que ficava mais bonito, lá isso ficava ;)
Acho que vou escrever uma postagem no meu com o título «A Miséria do Ensino ou o Ensino da Miséria». Seria um título perfeitamente adequado ao panorama da educação em Portugal, não acha?

7:46 da tarde  
Blogger Maria Lisboa disse...

Eu sou muito mais dura, e digo: que pena tantos professores não a terem!...

8:37 da tarde  
Blogger henrique santos disse...

Caro Quiron
acho que apesar de tudo a miséria do nosso ensino está bastante mal distribuída e continuo a pensar que é preciso sublinhar a relação entre o ensino que temos e a nossa sociedade. Essa análise relacional penso ser capaz de nos iluminar melhor do que uma focagem absoluta no seio da escola ou do ensino. Só se percebe esta educação que temos no seio da sociedade que temos.
A análise marxiana tem ainda muito a ensinar-nos. Muitos dos títulos das obras de Marx e Engels revelavam um intuito prático de luta ideológica nos contextos políticos do seu tempo. Revelavam oportunidade e sageza. Qualidades importantes, sem dúvida, neste nosso tempo. Boa inspiração marxiana, ainda que só no título, para esse seu próximo post, é o que lhe desejo, meu caro Quiron, a aliar bondade e sabedoria como o seu nome indicia.

11:42 da tarde  
Blogger Miguel Sousa disse...

há uma lição a tirar disto tudo, as maiorias são penalizadores de 99% dos cidadãos, o outro um porcento ganha imenso...são os patrões os economistas e os políticos

11:37 da manhã  
Blogger Abaixo a Sinistra disse...

Não sei se sentiram isso, mas, ao ouvir a Sinistra a comentar esse episódio, senti que "alguém" se ia "lixar" no meio i.e. os docentes da Escola. Ela aproveitou-se do que disseram os alunos para dar a entender que os Prof.s cumpriam mal já que as "aulas macabras (de substituição)" não estavam a correr "devidamente". Só espero não estar a dar ideias c este comentário.
A mulher é horrível.

8:26 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial