quinta-feira, dezembro 25, 2008

Na morte de Harold Pinter

Um grande Homem morreu. O seu exemplo continua, nas suas palavras, peças teatrais, livros, etc. Como Homem nunca deixou de intervir nos grandes problemas do seu tempo, quando tantos intelectuais se acobertam na comodidade cómoda com que os tentam comprar. Um exemplo também para os professores neste tempo em que a dignidade está em jogo e alguns podem esquecer-se disso.

"A linguagem política, tal como a empregam os homens políticos, não se aventura sobre este género de terreno, pois a maioria dos homens políticos, a crer pelos elementos de que dispomos, não se interessa pela verdade mas pelo poder ou pela manutenção do poder. Para manter esse poder é essencial que as gentes continuem na ignorância, que vivam na ignorância da verdade, até da verdade da sua própria vida. O que nos rodeia é um vasto tecido de mentiras, do qual nos alimentamos."

"Eu creio que apesar dos enormes obstáculos que existem, ser intelectualmente resoluto, com uma determinação feroz, estoica e inquebrantável, a definir, enquanto cidadãos, a real verdade das nossas vidas e das nossas sociedade é uma obrigação crucial que nos incumbe a todos. Ela é mesmo imperativa.
Se uma tal determinação não se incarna na nossa visão política, nós não teremos alguma esperança de restaurar o que nós somos tão perto de perder - nossa dignidade de homem."

Estes excertos foram retirados da mensagem de Harold Pinter aquando da recepção do Prémio Nobel da Literatura. Pode ouvi-lo aqui ou ler o texto aqui em várias línguas.
Pode também explorar a Fundação Harold Pinter.

1 Comentários:

Blogger IC disse...

Leio-te a poucos minutos de terminar o dia de Natal, e um novo ano está prestes a começar. Um bom momento para lançar à reflexão esses excertos das palavras de Harold Pinter.

11:59 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial