domingo, junho 24, 2007

Quase sem comentários.

Segue-se uma opinião de António Arnault, o histórico do PS que foi o "pai" do Sistema Nacional de Saúde (SNS). O comentário que faço é: e na Educação, não está a acontecer exactamente o mesmo?


"Direito à saúde não é exercício caritativo

Caminhamos para um SNS reservado aos pobres?
Estou muito preocupado. Têm sido tomadas medidas, até por este Governo, para destruir o SNS que nem a Direita teria tomado. Não teria coragem, nem o PS, na Oposição, deixaria! É um absurdo um Governo socialista estar a ajudar a transformar o SNS num serviço apenas dirigido aos pobres. O direito à saúde não pode ser um exercício caritativo. A saúde não é uma questão técnica, é uma questão política e de sensibilidade. E tem faltado alguma ao ministro da Saúde.
Fala em mais taxas moderadoras, mais impostos e o fim dos subsistemas?
A questão poderá vir a pôr-se, mas antes disso há que tentar salvar o SNS. O PS tem o compromisso histórico de criar condições para mais igualdade, dignidade e solidariedade. E a solidariedade está no artigo 1.º da Constituição. Tenho um problema comigo, sabe é que sou mesmo socialista! Acabar com os subsistemas também não é solução.
E por que se recorre já tanto a consultas privadas?
O SNS não responde à procura. Mas também há muito procura desnecessária. E há um laxismo completo, ninguém é responsabilizado. "
In Jornal de Notícias, 24/6/07

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial