sexta-feira, junho 01, 2007

Mais um capítulo da Palhaçada.

Hoje, mais um golpe de teatro na palhaçada do concurso para titulares. O que era já não é. As faltas por doença que não contavam até 30 dias segundo uma informação do ministério já passaram a descontar segundo informação mais recente. (E quanto às vagas o que se vê é que, são poucas e com uma distribuição que não se percebe, se pensarmos com um mínimo de lógica distributiva.)
Esta gentinha continua a brincar com os professores. Tal facto além de constituir uma ilegalidade face ao que eles impuseram na legislação recente é a demonstração do maior desrespeito para quem teve a infelicidade de estar doente nos últimos anos.
Comigo podem contar pois nunca me resignarei ou submeterei a esta forma de ver tratados os professores. E digo que sou daqueles que perante esta gente prefiro as formas tradicionais de protesto: a rua e a greve e os tribunais. Fossem os professores em massa para a rua e para a greve e esta gente teria mais respeito por nós. Até lá contem comigo: na rua, nas greves e nos tribunais. E se os colegas que invocam formas mais criativas de reivindicação avançarem com algumas válidas, aqui estarei para as apoiar.

5 Comentários:

Blogger Maria Lisboa disse...

Sobre as vagas comentei aqui: http://ocartel.blogspot.com/2007/06/vagas-para-o-concurso-de-titulares.html

Fiz mais uns comentários no umbigo, nomeadamente sobre algumas coisitas que acescentaria, à 1ª vista, ao texto da plataforma e aos comentários do Paulo.

Quanto ao DE, continua a não ter importância no contexto do exercício da profissão. Nem no que se refere ao cargo de coordenação (o dos outros clubes dá pontos, o da biblioteca dá pontos... o do DE não dá nada!!!), nem no que se refere à coordenação dos grupos/equipa que para além de quase todo o trabalho feito em horário pós laboral (muitas vezes em horas que para outros contam como horário nocturno e para nós nunca contaram) e que implicam, em muitos casos, que se trabalhe em praticamente 2/3 dos sábados que do ano lectivo.
O exercício destas funções, impediu muitos colegas de poderem desempenhar outras funções, podendo agora não ter pontos por não as ter exercido.
(Claro que não esqueço outros clubes/funções existentes nas escolas... e também não contabilizados)

Eu tenho pontos mais do que suficientes, no entanto, irrita-me muito, o desrespeito pelo meu trabalho (e já não falo da avaliação e a discriminação, pela negativa, de funções equivalentes na estrutura escolar.

3:20 da manhã  
Blogger Maria Lisboa disse...

errata: não leiam o "e que" antes de implicam

3:22 da manhã  
Blogger Maria Lisboa disse...

Desculpa... isto já é do sono!!!! ;)

Comecei um acrecento a meio de uma frase e esqueci-me de o acabar!!!
:( Vou refazer o último parágrafo para que se perceba.

Eu tenho pontos mais do que suficientes, no entanto, irrita-me muito, o desrespeito pelo meu trabalho e a discriminação, pela negativa, de funções equivalentes na estrutura escolar.

E relativamente à aberração que é este concurso, já nem refiro a avaliação da actividade lectiva (que já se percebeu que é o que menos interessa à ME) nem à rectroactividade selectiva de um trabalho desenvolvido à luz de determinadas regras nem à selecção, atribuição e aceitação de funções feita de acordo com outros parâmetros.

3:35 da manhã  
Blogger SL disse...

Essa retroactividade do concurso não deveria ser ilegal, inconstitucional ou o diabo a quatro? Como é possível estipularem-se regras no FIM do jogo para só então anunciar os vencedores? Pegando no comentário da Maria Lisboa: um professor que esteve ANOS no DE não teria optado por preferir outro tipo de cargos se soubesse que, afinal, iria ser avaliado por isso, sendo importantíssimas as consequências que daí advêm para a sua carreira?
Estes gajos andam todos tolos. Estou com o Henrique: na rua, na greve, nos tribunais e onde mais houver imaginação para dizer BASTA!

8:44 da manhã  
Blogger IC disse...

Henrique, a verdade é mesmo essa: Se fossem em massa para a rua e para a greve... [Eu sempre disse que os professores têm "a faca e o queijo na mão", mas lá diz o ditado: Dá deus nozes a quem não tem dentes... :-( ]

8:46 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial