terça-feira, junho 05, 2007

O estado a que isto está a chegar

Um sistema que permite ou mesmo origina o tipo de "acontecimentos" como a seguir está descrito, é um sistema impróprio para humanos. Responsabilidades devem ser exigidas.

"Repugnância... nojo... repulsa... são os sentimentos mais pequenos! Os mais intensos nem sei exprimir!

"Não sei porque não estou habituada a saber exprimir sentimentos de ódio!
.
22/02/2007
Com leucemia - Professora obrigada a dar aulas
.
"Uma docente da Escola EB 2/3 de Cacia, em Aveiro, que se encontrava de baixa há cerca de dois anos, após lhe ter sido diagnosticada uma leucemia, foi obrigada pela Caixa Geral de Aposentações a regressar ao serviço para cumprir um período mínimo de 31 dias de trabalho.Manuela Estanqueiro, de 63 anos, tinha pedido para ser aposentada por incapacidade, mas, após uma junta médica realizada em Novembro, não só viu a pretensão recusada como teve a baixa médica suspensa e ordem para voltar ao serviço, sob pena de perder o vencimento.“Sinto-me muito injustiçada. Sei que há quem faça de conta que está doente, mas esse não é, infelizmente, o meu caso”, salientou a professora ao CM. ATESTADO ATÉ NOVA JUNTA. O período mínimo exigido terminou anteontem e Manuela Estanqueiro está actualmente de atestado médico, até poder ir a nova junta médica. “Estes 31 dias foram de extrema agonia e cheguei a desmaiar em plena sala de aula, para além de ter de descansar nos intervalos. Só consegui ultrapassar este sofrimento porque tive sempre o apoio dos colegas, da escola e da Direcção Regional de Educação do Centro.”A decisão da Caixa Geral de Aposentações deixou a docente de educação tecnológica “abalada psicologicamente”. “Depois de meses de quimioterapia, era o pior que me podia acontecer”, diz.Manuela Estanqueiro diz que não a preocupa o facto de lhe recusarem a aposentação – da qual já apresentou recurso – só não entende como a podem considerar capaz para o serviço, quando tem uma doença grave diagnostica. Por causa de tudo isto, viu a baixa revogada, quando “a tinha até Outubro de 2008”".
in: http://www.cacia.pt/index.php?CA=Noticia&IDNoticia=40
O comentário que se segue, e que nos conta o que infelizmente aconteceu a esta colega, foi extraído daqui:
http://legoergosum.blogspot.com/2007/05/questes-de-moral.html
.
"Essa pergunta pode ser feita à Ministra da Educação? É que, relativamente a esta notícia da professora com leucemia que foi obrigada a trabalhar há 3 meses: http://www.cacia.pt/index.php?CA=Noticia&IDNoticia=40 essa professora, a minha colega Manuela Estanqueiro, foi hoje a enterrar às 15.30h no Cemitério de Cacia, em Aveiro. Estou REVOLTADO. Nem sabem o que me apetece fazer. Agora percebo porquê que às vezes lemos nos jornais casos de ajustes de contas a tiro. Por muito menos o fazem, por muito menos. Desculpem a crueldade mas, dizer menos que isto, era lutar contra um sentimento de justiça que me atormenta e é bem mais forte. Estou ENOJADO.ENOJADO!!!!!!!!!!!!!Francisco"
4 de Junho de 2007 21:47
Ao qual se segue este comentário da Amélia Pais:
"Pode e deve, Francisco. E tem razão ao exprimir a sua revolta. Isto devia ser mais badalado nos jornais. Há outros colegas em risco igual."
Não sei comentar este tipo de atitudes! Ultrapassam toda a educação que tive! Ultrapassam todos os princípios éticos e humanitários, colocando quem os perpetra e quem os incentiva ao nível do mais vulgar assassino.
.
À família enlutada e aos colegas que acompanharam este horrível processo, acabando por perder a familiar, a amiga, a colega, apresento os meus profundos sentimentos e peço a divulgação o mais alargada possível do sucedido para que outros se consigam salvar"

8 Comentários:

Blogger MF disse...

Revoltante, no mínimo!

paraladasparedes.blogspot.com

10:27 da manhã  
Blogger IC disse...

Soube ontem de manhã deste caso e ele ainda não me saiu da cabeça. As prepotências desumanas dos mais pequenos ficam à solta quando os exemplos do poder instituído criam ambiente propício a isso.

4:37 da tarde  
Blogger Maria Lisboa disse...

http://asinistraministra.blogspot.com/2007/06/crime-disse-ela.html

11:54 da tarde  
Anonymous samartaime disse...

Sei de uma funcinária pública a que foram amputados os dois seios.
Sei que meses depois piorava e pediu reforma por invalidez. Foi a uma «Junta Médica» e na sequência disse que se queria reformar porque não conseguia trabalhar. O «médico» argumentou:«o que lhe tiraram foi as mamas!» (sic) - e foi trabalhar até ir para o hospital morrer.

Que um médico seja ignorante, eu entendo.
Que um médico se engane, eu entendo.
Que um médico seja desleixado, eu entendo.
Que um médico seja bebado e assassino, eu também entendo.
Mas existem tribunais para meter estes magarefes na ordem e os isolar da sociedade.

Mas uma «Junta Médica» é soberana porquê? Por que não se podem exigir responsabilidades?
Porquê?

Quem são aqueles vendidos que constituem uma «junta médica»?

3:56 da tarde  
Blogger crisipin disse...

Nem sei que dizer!! Não estou espantada pois considero que este "Estado" que permite cada vez mais que os seus cidadãos sejam trucidados pelo sistema deve ser extinto já!!! Abaixo os filhos da mãe!! Este não é um estado que respeite os direitos humanos. É um estado desumano, mesquinho e esses srs. da caixa geral de aposentações deviam ser irradicados do sistema para sempre. Esses pseudo médicos que em vez de cuidarem dos doentes cuidam apenas dos seus privilégios e dos seus arranjinhos com as com as companhias farmaceuticas em troca de viagens e sei lá que mais,deviam nunca mais poder exercer a profissão. nem aqui nem em qualquer outro local.
Não me perguntem como, não sei, mas gente que permite que uma situação destas aconteça devia ser condenada à morte (nem acredito que estou a dizer isto pois sou completamente contra, mas estou chocada, irada, revoltada e até vontade de vomitar tenho!!!)E que raio de ministro preside a isto tudo? De humana nao tem nada, de assassina tem muito. Fora com essa escumalha!
Francamente, deviam ter vergonha!
À família enlutada os meus sinceros pêsames e a todos os que lerem isto e se encontrem igualmente revoltados: unamo-nos até a filha da puta ser demitida!!
E o Sr. Sócrates, que tem a dizer sobre isto? Ou não tem cara para responder?
Todos um nojo!!

4:06 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Não há palavras que possam confortar a família agora enlutada!
Não há palavras que consigam descrever a tremenda falta de humanismo e o tremendo excesso de prepotência que trata as pessoas como se fossem meros números!
Esta é mais uma das tremendas injustiças como têm sido tratados os professores nestes últimos tempos, só que esta, infelizmente, não tem remédio possível!

11:59 da tarde  
Blogger paula disse...

Penso que num país em que há este tipo de actuação não dá vontade de viver. Sinceramente, acho que a família devia pôr o caso em tribunal pedindo uma indemnização elevada. A sociedade civil tem que agir, tem que protestar e responsabilizar as pessoas pelos seus actos. Talvez da próxima vez haja menos leviandade e desumanização na decisão a tomar.

11:30 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

O único comentário que me surge fazer...é "Não há palavras"... Caminhamos para um mundo absolutamente desumano... Não há sentimentos, não há solidariedade... e, tudo está a partir "lá de cima", vendo estes exemplos... Que geração vamos ter, que geração estamos a criar...a educar...Formação Cívica? Quem é que se lembrou disso? Será que este tipo de situações não estão ligadas também aos nossos deveres cívicos? Somos seres humanos,sensíveis ou somos "Animais"?... De qualquer forma os animais ajudam-se, protegem-se, amam-se respeitam-se...É lamentável, tanta "falcatrua" por aí... e ainda assim, só pegam nestas, que envolvem a "Saúde" e a "Vida" das pessoas...

8:07 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial