terça-feira, abril 22, 2008

Organização do esquecimento

Inesquecível? Para alguns, sim. Mas há os que preferem um sistema de esquecimento organizado: de liberdade sem peias para uns poucos e obediência para muitos; de socialismo para os ricos e capitalismo para os pobres. Eles preferem que o incontestável poder das pessoas comuns seja enviado para o que George Orwell chamou o buraco da memória. Poder-se-ia perguntar: como podemos nós esquecer quando vivemos na era da informação? A resposta para isto é uma outra pergunta. Quem é o "nós"? Ao contrário de tu e eu, a maior parte dos seres humanos nunca utilizou um computador e nunca teve telefone. E aqueles de nós que são tecnologicamente abençoados, muitas vezes confundem informação com media, e traquejo empresarial com conhecimento. Estas são, provavelmente, as mais poderosas ilusões dos nossos tempos. Há mesmo um novo vocabulário, nos quais conceitos nobres foram empresariados em significados enganosos, perversos e mesmo contrários. Inesquecível? Para alguns, sim. Mas há os que preferem um sistema de esquecimento organizado: de liberdade sem peias para uns poucos e obediência para muitos; de socialismo para os ricos e capitalismo para os pobres. Eles preferem que o incontestável poder das pessoas comuns seja enviado para o que George Orwell chamou o buraco da memória. Poder-se-ia perguntar: como podemos nós esquecer quando vivemos na era da informação? A resposta para isto é uma outra pergunta. Quem é o "nós"? Ao contrário de tu e eu, a maior parte dos seres humanos nunca utilizou um computador e nunca teve telefone. E aqueles de nós que são tecnologicamente abençoados, muitas vezes confundem informação com media, e traquejo empresarial com conhecimento. Estas são, provavelmente, as mais poderosas ilusões dos nossos tempos. Há mesmo um novo vocabulário, nos quais conceitos nobres foram empresariados em significados enganosos, perversos e mesmo contrários.

John Pilger

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial