sábado, setembro 30, 2006

Contrato

"CONTRATO DE PROFESSORA - 1923

Este é um acordo entre a Senhorita____________, professora, e o Conselho de Educação da Escola_____, pelo qual a Senhorita___, concorda em ensinar por um período de oito meses, começando em 1 de Setembro de 1923. O Conselho de Educação concorda em pagar à Senhorita______________ a soma de 75 dólares por mês.
A Senhorita concorda com as seguintes cláusulas:
1. Não se casar. Este contrato torna-se nulo imediatamente se a professora se casar.
2. Não andar em companhia de homens.
3. Estar em casa entre as oito horas da noite e as seis da manhã, a menos que esteja assistindo a alguma função da escola.
4. Não ficar vagando pelo centro em sorveterias.
5. Não deixar a cidade em tempo algum sem a permissão do presidente do Conselho de curadores.
6. Não fumar cigarros. Este contrato torna-se nulo imediatamente se a professora for encontrada fumando.
7. Não beber cerveja, vinho ou uísque. Este contrato torna-se nulo imediatamente se a professora for encontrada bebendo cerveja, vinho ou uísque.
8. Não andar de carruagem ou automóvel com qualquer homem exceto seu irmão ou pai.
9. Não vestir roupas demasiadamente coloridas.
10. Não tingir o cabelo.
11. Vestir ao menos duas combinações.
12. Não usar vestidos mais de duas polegadas acima dos tornozelos.
13. Conservar a sala de aula limpa.
a) varrer o chão da sala de aula ao menos uma vez por dia.
b) esfregar o chão da sala ao menos uma vez por semana com água quente e sabão.
c) limpar o quadro-negro ao menos uma vez por dia.
d) acender a lareira às 7 horas da manhã de forma que a sala esteja quente às 8 horas quando as crianças chegarem.
e) não usar pó no rosto, rímel, ou pintar os lábios."

Citado em Trabalho docente e textos. Michael Apple. (Versão brasileira)
Isto sim. Isto é que era um estatuto.
ADENDA: Informa-se que este blog foi tomado por um perigoso membro da Al Quaeda em Portugal, que visa minar por todas as formas o incomparável e belíssimo trabalho de sua Ex.a, a Excelentíssima Senhora Dona Maria de Lurdes Rodrigues. Por isso não se admirem de encontrar aqui textos atentatórios do Bom Nome e da Excelentíssima Obra feita pelo Excelso Ministério da Educação não esquecendo os seus Excelentíssimos Secretários de Estado.
Eu, que fui feito refém e estou sequestrado algures entre o Paquistão e o Afeganistão, deixo aqui esta última mensagem.
Assim que for libertado pelas forças da Liberdade (consta que Sócrates e Marques Mendes se encontram neste momento reunidos para tratar da minha libertação, para a qual pediram a Bush a colaboração de marines e seals) continuarei a minha tarefa de mostrar toda a Qualidade da equipa ministerial que em boa hora arribou na Educação de Portugal. Equipa essa que tem sido alvo dos mais vís ataques da comunicação social portuguesa, apostada em defender essa classe inefável - os professores.
Boa noite

6 Comentários:

Blogger zoltrix disse...

LINDO!!!!
Que bela veia criativa!
Acho que textos com ironia fazem mais que textos monocordicos, cinzentos, informativos em demasia, chatos e etc...
Uma aragem fresca e revigorante de humor este texto!

11:24 da tarde  
Blogger Dead link disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

12:31 da tarde  
Blogger Dead link disse...

Pois, não era só no país dos "dólares" que isso era assim; por cá os meus pais - ambos professores - tiveram que pedir autorização para se casarem ao Ministério... e tinha que ir uma discrição exaustiva das funções do futuro esposo/a. Houve casos em que o pedido veio indeferido por não ser considerada digna a ocupação da/o futura/o esposa/o de um professor/a... Foi só há 63 anos!!!

Uma professora teve problemas profissionais porque vivia maritalmente e o Director Escolar de um determinado distrito teve atitudes discriminatórias...Foi só há cerca de 20 anos!!!...

O autor retirou o último parágrafo deste comentário por MEDO DE RETALIAÇõES!!!!
ESTÁ A SER NESTE ANO LECTIVO!!!!

12:49 da tarde  
Blogger IC disse...

Tanbém acho que o humor refresca e revigora e o meu comentário vai ser a brincar... ;)
"Assim que for libertado pelas forças da Liberdade (...)continuarei a minha tarefa de mostrar toda a Qualidade ........" Pois se eu tivesse a certeza de que não te estão a torturar e que te dão cama, comida e água e te deixam ter tv (e também computador), perguntava se não te importas de aguentar mais um tempinho de sequestro, que com esssa intenção de continuares o que dizes, se calhar fizeram-te uma "lavagem" ao cérebro e é preciso que os libertadores exijam que primeiro o façam regressar ao normal.
hi hi hi

7:31 da tarde  
Blogger Miguel Pinto disse...

Olha que estive disposto a passar a palavra pela blogosfera: Procuro um professor vítima da sua educação crítica… dão-se alvíssaras… ;) Felizmente que ainda foi possível deixar rasto para conhecer o perfil dos sequestradores… ;)

10:40 da tarde  
Anonymous paulo g. disse...

:D

7:32 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial