sábado, outubro 08, 2011

Educação/Direito versus Educação/Negócio

Há basicamente duas formas de conceber a Educação: por um lado a Educação vista como um Direito a que devem ter acesso todos, de uma forma gratuita, assegurando qualidade e equidade. Por outro lado, a Educação encarada como um Negócio, ao qual devem ter acesso quem tem o poder de o pagar, não assegurando por isso qualidade para todos, sendo a equidade conceito inoperacional.

No mundo de hoje, a comunicação social ao serviço do mundo dos Negócios (ela mesma é um Negócio) matraqueia-nos com a ideia de que não é possível assegurar a Educação/Direito (ou os outros direitos), por falta de "sustentabilidade". Além disso dizem-nos que nem é desejável, pois a santa competição e a busca do lucro é que criam mais qualidade nos produtos e serviços.

Quem sabe um pouco de economia (economia como ciência que trata da produção e distribuição de produtos e serviços visando a satisfação das necessidades de todos e não só de alguns), sabe que nunca houve, mais do que nos nossos dias, maior capacidade produtiva em qualquer sector da nossa sociedade. As crises de que padecemos nos países ocidentais são de sobreprodução e não de miséria como em séculos passados. Só através de propaganda em massa é que é possível que as pessoas engulam o argumento da falta de recursos para assegurar os direitos de todos.

É preciso dar corpo novamente a esta visão da Educação como Direito e resistir ao retrocesso civilizacional da Educação como negócio.

Etiquetas:

1 Comentários:

Blogger IC disse...

É preciso, é imprescindível, e veremos, sim, novamente a Educação como Direito, pois não acredito (não quero acreditar) nestes retrocessos civilizacionais que se afiguram. Mas receio que tenhamos que esperar que vão embora da governação as mentes que são elas próprias autênticos retrocessos civilizacionais!

2:55 da manhã  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial