segunda-feira, junho 15, 2009

O importante na Educação (Física)

O que é verdadeiramente importante na Educação Física, em primeiro lugar, é que o professor consiga transmitir aos seus alunos o gosto pela actividade e pela cultura (física e desportiva). Essa faceta energética e afectiva do ensino é um poderoso motor que põe em marcha todo um processo que se nutre e requer a autonomia do aluno. Daí que, para além dessa primeira intenção pedagógica – a de dar o gosto pela prática da actividade – o professor tem de guiar os alunos nas aprendizagens que qualificam essa prática: fazê-los aprender bem, os fundamentos primeiro, (e não é de somenos ou fácil definir o que são esses fundamentos), nutri-los de conhecimentos “sur mesure”, apetrechá-los de competências, a principal das quais é a de serem autónomos quanto possam ser e quanto antes.
Ao conseguir pôr em marcha este processo, ao colocar em actividade os alunos como pessoas capazes de autonomia e com gosto no que fazem, o professor dá o empurrão mais decisivo, o inicial. Daí em diante é importante dar continuidade, intensidade, entusiasmo, qualidade, intencionalidade e preencher de sabedoria o que se vai fazendo.
Pensar colectivamente sobre os caminhos a fazer trilhar nesse processo desde o seu início, eis a minha visão de excelência na docência como processo e projecto colectivo em que o trabalho individual se deve integrar criticamente. Reflectir amiúde (e colectivamente) sobre o processo, sobre as ideias e as práticas que se levam a cabo, eis a minha visão de avaliação profissional.
Reivindicar condições para concretizar essa forma de desenvolvimento profissional é necessário, neste tempo em que, por exemplo, o Tempo para reflectir em conjunto é uma substância que interessa a alguns cilindrar, substituído por um tempo sem sentido.

1 Comentários:

Anonymous Miguel Pintp disse...

Muito bem. É isso mesmo!

9:19 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial