sexta-feira, agosto 29, 2008

Cinismo

A respeito das dezenas de milhares de professores formados que ficam sem colocação anualmente são tecidos pelos governantes e reproduzidos por muitas pessoas, algo como isto: " as escolas ou o Estado não são feitas para dar empregos".
Os sindicatos muitas vezes reagem, e bem, apontando como muitos dos milhares que ficam no desemprego são fruto de escolhas e decisões políticas. Em Portugal, por exemplo, tem havido decisões que remetem para o desemprego e precariedade absoluta dezenas de milhares de professores, num quadro social em que existem necessidades de Educação e qualificação escolar e profissional enorme se comparados com outros países. Um contrassenso portanto. Dizem também os sindicatos, e bem, que foram decisões políticas que deixaram formar-se para professores, com o seu total beneplácito e sem informar sequer os jovens que as saídas futuras poderiam estar vedadas...
Eu acho, no entanto, que num plano mais geral - que tantas vezes não conseguimos ter pois estamos remetidos a visões de curto prazo, - há que afirmar uma coisa fundamental: uma Sociedade Civilizada e de Direito não pode fazer dos seus cidadãos seres remetidos para meros instrumentos de uma economia ao serviço do interesse de alguns. A Economia como prática social deve estar feita e organizada para satisfazer as necessidades dos seus Cidadãos.
Dizer simplesmente às pessoas que se formaram ainda por cima no Ensino Superior que simplesmente se desenrasquem é cúmulo de cinismo. Compreendo os pobres de compreensão que caem na esparrela de reproduzir tais irraciocínios. Aos outros, esses, é preciso combatê-los também aqui, no campo das ideias comuns.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial